Material de Apoio

 Sobre a Gramática
 Morfologia
 Sintaxe
 Fonologia
 Semântica
 Estilística
 Redação

Pratique

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Provas On-line

Ajuda

 Laifis de Português
 Área dos Professores
 Comunidade
 Fórum
 Dicas de Português
 Dúvidas Frequentes
 Qual é o Gênero?
 Conjugador de Verbos

Entretenimento

 Jogos
 Maltratando a Língua
 Fala Popular
 Expr. Redundantes
 Pérolas Gramaticais
 Qual é a Expressão?
 Trava-Línguas
 Humor na Língua

Diversos

 Portuguesinho
 Português na História
 Português no Mundo
 Formação da Líng. Port.
 Curiosidades
 Estrangeirismos
 Neologismos e Gírias
 Abreviaturas e Siglas
 Expressões Idiomáticas
 Origem das Expressões
 Reforma Ortográfica
 Glossário
 Notícias
 Artigos e Reportagens
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Classificação dos Fonemas

Os fonemas da língua portuguesa são classificados em:

1) Vogais

   As vogais são os fonemas sonoros produzidos por uma corrente de ar que passa livremente pela boca. Em nossa língua, desempenham o papel de núcleo das sílabas. Assim, isso significa que em toda sílaba há necessariamente uma única vogal.

   Na produção de vogais, a boca fica aberta ou entreaberta. As vogais podem ser:

    a) Orais: quando o ar sai apenas pela boca.

      Por Exemplo:
        /a/, /e/, /i/, /o/, /u/.

    b) Nasais: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais.

      Por Exemplo:

        /ã/:  fã, canto, tampa
        /etilll.gif (126 bytes)/: dente, tempero
        /itil.gif (111 bytes)/: lindo, mim
        /õ/ bonde, tombo
        /util.gif (118 bytes)/ nunca, algum

    c) Átonas: pronunciadas com menor intensidade.

      Por Exemplo:
        até, bola

    d)Tônicas: pronunciadas com maior intensidade.

      Por Exemplo:
        até, bola

Quanto ao timbre, as vogais podem ser:

    Abertas

    Exemplos:

      pé, lata, pó

    Fechadas

    Exemplos:

      mês, luta, amor

    Reduzidas - Aparecem quase sempre no final das palavras.

    Exemplos:

      dedo, ave, gente

Quanto à zona de articulação:

    Anteriores ou Palatais - A língua eleva-se em direção ao palato duro (céu da boca).

    Exemplos:

      é, ê, i

    Posteriores ou Velares - A língua eleva-se em direção ao palato mole (véu palatino).

    Exemplos:

      ó, ô, u

    Médias - A língua fica baixa, quase em repouso.

    Por Exemplo:

      a

2) Semivogais

   Os fonemas /i/ e /u/, algumas vezes, não são vogais. Aparecem apoiados em uma vogal, formando com ela uma só emissão de voz (uma sílaba). Nesse caso, esses fonemas são chamados de semivogais. A diferença fundamental entre vogais e semivogais está no fato de que estas últimas não desempenham o papel de núcleo silábico.

   Observe a palavra papai. Ela é formada de duas sílabas: pa-pai. Na última sílaba, o fonema vocálico que se destaca é o a. Ele é a vogal. O outro fonema vocálico i não é tão forte quanto ele. É a semivogal

Outros exemplos:

    saudade, história, série.

Obs.: os fonemas /i/ e /u/ podem aparecer representados na escrita por" e", "o" ou "m".

Veja:

    pães / pãismão / mãu/cem /cetilll.gif (126 bytes)i/

3) Consoantes

   Para a produção das consoantes, a corrente de ar expirada pelos pulmões encontra obstáculos ao passar pela cavidade bucal. Isso faz com que as consoantes sejam verdadeiros "ruídos", incapazes de atuar como núcleos silábicos. Seu nome provém justamente desse fato, pois, em português, sempre consoam ("soam com") as vogais.

Exemplos:

    /b/, /t/, /d/, /v/, /l/, /m/, etc.


Anterior  Índice Próximo

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

 

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato de Usuário | Anuncie | Fale conosco
Copyright © 2007-2014 Só Português. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.