Você está em Sintaxe > Subordinação ▼

Forma das Orações Subordinadas

Observe o exemplo abaixo de Vinícius de Moraes:       

"Eu sinto
que em meu gesto existe o teu gesto."
Oração Principal
Oração Subordinada

Observe que na oração subordinada temos o verbo "existe", que está conjugado na terceira pessoa do singular do presente do indicativo.

As orações subordinadas que apresentam verbo em qualquer dos tempos finitos (tempos do modo do indicativo, subjuntivo e imperativo), são chamadas de orações desenvolvidas ou explícitas.

Podemos modificar o período acima.

Veja:      

Eu sinto
existir em meu gesto o teu gesto.
Oração Principal
Oração Subordinada

Observe que a análise das orações continua sendo a mesma: "Eu sinto" é a oração principal, cujo objeto direto é a oração subordinada  "existir em meu gesto o teu gesto". Note que a oração subordinada apresenta agora verbo no infinitivo. Além disso, a conjunção que, conectivo que unia as duas orações, desapareceu. As orações subordinadas cujo verbo surge numa das formas nominais (infinitivo - flexionado ou não - , gerúndio ou particípio) chamamos orações reduzidas ou implícitas.

Obs.:  as orações reduzidas não são introduzidas por conjunções nem pronomes relativos. Podem ser, eventualmente, introduzidas por preposição.

Como referenciar: "Forma das Orações Subordinadas" em Só Português. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2018. Consultado em 18/02/2018 às 03:57. Disponível na Internet em https://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint29.php